Como garantir a segurança da informação em empresas

10 práticas de como garantir a segurança da informação em empresas

Atualmente, muitas práticas de segurança da informação são ignoradas. A princípio, muitas empresas ainda não chegaram a conhecer essas práticas. Contudo, uma outra parcela pode até mesmo não dar a devida atenção à segurança da informação. Neste artigo falaremos sobre dez principais práticas de como garantir a segurança da informação que a sua empresa deve começar a trabalhar hoje mesmo.

Primeiramente, falaremos sobre essas dez práticas de modo geral. Posteriormente, criaremos uma postagem nova para cada um desses itens.

Como garantir a segurança da informação – Prática 1: possuir antivírus corporativo e firewall

Toda empresa deve ter um antivírus corporativo e um firewall. Os antivírus corporativos não são iguais àqueles que compramos para computadores particulares. Ataques que vêm até uma empresa podem surgir de várias formas, e são diferentes dos que ocorrem em computadores pessoais.

Os antivírus corporativos são desenvolvidos de modo que protejam as empresas contra vários tipos de ataque. Afinal, as informações confidenciais dentro das empresas podem ser vazadas por hackers e cibercriminosos. Muitas vezes, os antivírus comuns não conseguem combater ameaças mais graves. Desse modo, os antivírus corporativos conseguem fazer o trabalho mais pesado.

Prática 2: Atualização frequente do antivírus corporativo e firewall

Assim como outros programas, os antivírus precisam ser atualizados frequentemente. O avanço dos cibercriminosos e a criação de novos vírus, malwares, spywares e trojans aumentam a cada dia. Sendo assim, os antivírus sempre esperam novos vírus para que então os combatam. Por conta disso, cada atualização do antivírus na empresa é importante e essencial como prática de como garantir a segurança da informação.

Prática 3: Possuir softwares originais e atualizados

A maior parte das empresas pequenas costumam utilizar softwares que chamamos de piratas. São aqueles que funcionam como os originais, mas não há necessidade de pagá-los. Os softwares piratas, além de serem ilegais, também podem trazer problema para a empresa no que tange a defesa dos vírus. Em primeiro lugar, o software que não é original pode conter nele mesmo vírus. Em segundo lugar, as atualizações desses softwares piratas não são realizadas, deixando as informações da empresa ainda mais inseguras. Assim, a garantia da segurança da informação fica comprometida.

Prática 4:  Possuir política de segurança clara e definida a todos os colaboradores

A política de segurança de uma empresa nada mais é do que um conjunto de normas que organizam a manipulação de suas informações. Em outras palavras, ela serve para garantir a segurança das informações sigilosas da empresa por meio de normas que colaboradores e terceiros devem seguir ao manipular os dados dela. Portanto, um dos meios de como garantir a segurança da informação é criar uma política de segurança clara e bem definida.

Prática 5: Possuir políticas de boas práticas na Internet

Boas práticas na internet para evitar roubos de dados e informações são essenciais. Dessa maneira, criar uma política de boas práticas da empresa na informática é outro meio de garantir a segurança da informação. Nos nossos próximos artigos falaremos sobre uma política de boas práticas, ensinando a você como optar por boas normas dessa política.

Prática 6: Possuir backup em nuvem ou local

Infelizmente, sistemas de informação sofrem problemas imprevisíveis. Mesmo que a empresa invista em bons equipamentos, não é certo que problemas não ocorrerão. O único jeito de se salvar desses problemas é com um backup. O backup nada mais é do que uma cópia extra dos arquivos da empresa. Caso algum sistema falhe e haja perda total das informações, por exemplo, é possível recorrer ao backup. E ele pode ser na nuvem (Internet) ou local. Atualmente o backup em nuvem é muito mais indicado. Por via das dúvidas, consulte nosso futuro artigo sobre esse assunto.

Prática 7:  Possuir um bom plano de contingência

Se a empresa não tiver um backup, ainda há uma segunda chance: um plano de contingência. O plano de contingência nada mais é do que um conjunto de descrições que têm o intuito de descrever quais medidas devem ou não ser realizadas diante de alguns cenários. Só para ilustrar: caso haja uma falha em um servidor, o que a empresa deve fazer, se deve acionar os profissionais de TI para consertar o problema ou ativar um servidor extra.

Prática 8: Separar a rede de wifi interna e a de visitantes na sua empresa

Separar redes wifi tem sido uma das práticas mais recorrentes para garantir a segurança da informação da empresa. Isso ocorre porque muitos cibercriminosos roubam informações diretamente pelo wifi. Por meio de um método chamado sniffing, os usuários maliciosos roubam senhas, cartões de crédito e informações que passam descriptografadas pela rede.

O melhor a se fazer, neste caso, é criar uma rede wifi interna, para processos sigilosos da empresa, e uma rede externa para visitantes e clientes.

Prática 9: Mecanismos de controle de acesso na rede de sua empresa

Palavras-chave, sistemas biométricos, firewalls, cartões inteligentes e senhas variadas são apenas alguns dos mecanismos para controlar acesso em determinados setores das empresas. Se qualquer um pode acessar os vários setores da empresa, com o acesso a apenas um deles, poderá haver um problema. É possível que haja um ataque e o criminoso consiga acesso a um setor. Logo após a invasão, ele terá total acesso aos sistemas e as informações vazarão. Portanto, cada setor deve ter diferentes mecanismos para controlar o acesso de usuários.

Prática 10: Restrição de dispositivos de armazenamento como pendrives, CDs e DVDs

Um dos meios mais comuns para conseguir invadir uma empresa ou um determinado dispositivo é por meio de pendrives. Os pendrives, por serem práticos e utilizados por várias pessoas, tornaram-se alvos de cibercriminosos há muito tempo. Os chamados worms se espalham rapidamente em computadores com a simples introdução do pendrive no dispositivo. Por conseguinte, permitir o acesso desses dispositivos nos computadores da empresa pode representar uma ameaça. A solução é restringir ao máximo o uso desses dispositivos em questão.

Em resumo, é desse modo que as informações podem ser garantidas dentro de uma empresa. A cada semana, publicaremos uma postagem relacionada a cada uma dessas dez atitudes apresentadas aqui. Clique aqui e veja mais sobre segurança da informação em empresas. Você também pode ver soluções de segurança

Você também pode fazer o nosso quiz e descobrir em que nível está sua segurança em relação a essas dez práticas, é só clicar no banner abaixo:

Compartilhe