texto sobre como separar a rede wi-fi de visitantes

8ª Prática de Segurança da Informação: Separar a rede Wi-Fi interna e a de visitantes na sua empresa

Por que separar a rede Wi-Fi da empresa, mantendo uma para uso interno e outra para visitantes?

Sem dúvida, oferecer aos visitantes um acesso à web é uma necessidade. Muito além da cortesia, isto já se tornou uma questão funcional.

Entretanto, é preciso considerar que a concessão desse acesso traz riscos para a empresa.

Neste artigo veremos quais são esses riscos e por que a separação de redes Wi-Fi é uma boa medida de segurança. Acompanhe.

A importância de oferecer um acesso à web

Atualmente, e cada vez mais, as informações corporativas estão ficando concentradas em estruturas na nuvem.

Entre as vantagens que a nuvem oferece está a mobilidade, isto é, a possibilidade de acesso à informação a partir de qualquer lugar. Hoje, qualquer usuário precisa apenas de um acesso disponível à internet.

Assim, a disponibilidade de uma rede wi-fi torna-se uma importante ferramenta de produtividade para profissionais que se deslocam, por exemplo, para uma visita à sua empresa.

De fato, boa parte dos visitantes que uma empresa recebe é formada por parceiros, clientes ou fornecedores. Sem dúvida são pessoas trabalhando em parceria com a sua organização.

Portanto, oferecer uma rede wi-fi para os visitantes traz, de certa forma, um retorno para a própria empresa.

Os riscos do acesso à rede da empresa

O outro lado da moeda está nos riscos representados pelo acesso dado a pessoas “estranhas” à organização. Quais riscos?

Entre os possíveis riscos, podemos enumerar alguns, como:

  • A perda do controle sobre quem são as pessoas com acesso e quais são os dispositivos conectados;
  • O acesso indevido de usuários estranhos a todos os recursos da rede, como servidores, impressoras e outros dispositivos conectados;
  • A introdução acidental de arquivos ou aplicações que podem contaminar o ambiente digital da organização;
  • A ação de pessoas mal intencionadas, interessadas em vasculhar e obter informações internas da empresa; o sniffing é uma das típicas práticas que ocorrem nesses ambientes;
  • A interferência que a presença de mais usuários pode gerar (sobrecarga na rede, por exemplo).

Sobre o sniffing, citado acima, trata-se de uma prática em que, através de um software específico, o sniffer (“farejador”), um usuário mal intencionado consegue interceptar e decodificar todo o conteúdo dos dados trafegados entre dispositivos em uma rede.

A princípio, o sniffer tem finalidades mais “nobres”, como a de auxiliar o monitoramento do tráfego de rede, mas tem sido utilizado com segundas intenções.

A separação das redes wi-fi, uma solução segura

Criar uma rede wi-fi separada, específica para visitantes, é uma ótima solução contra os riscos citados.

Pode-se configurar uma rede wi-fi mais restrita para os visitantes, que lhes dê o acesso à internet, sem interferir no ambiente interno da empresa.

Ainda assim, é importante manter um controle dos usuários e equipamentos conectados a essa segunda rede, bem como monitorar o seu funcionamento.

Cuidados na criação e manutenção da rede wi-fi para visitantes

  • Utilizar equipamentos de qualidade: uma segunda rede não significa uma rede de menor qualidade, com equipamentos inferiores.
  • Estabelecer senhas fortes para o acesso. A intenção, nesse caso, é a de que o acesso à rede só seja liberado a quem se identificar e fizer a solicitação. Senhas fracas possibilitam que usuários as adivinhem e passem a acessar a rede sem pedir autorização.
  • Estabelecer um procedimento de cadastramento de usuários. O acesso só deve ser dado a usuários devidamente cadastrados e identificados.
  • Monitorar a rede: por mais que seja uma rede separada, a empresa precisa se assegurar de que procedimentos estranhos não estejam ocorrendo nesse ambiente.

Conforme citado, mesmo com a criação de uma rede wi-fi separada para visitantes, a necessidade de monitorar usuários e acessos continua a existir. Por quê?

Há um risco, pouco lembrado, que pode trazer sérias consequências para a empresa: uma pessoa mal intencionada pode usar o acesso à sua rede para praticar atos ilícitos, prejudicando terceiros.

Não conseguindo identificar o verdadeiro autor dos atos, a empresa pode ser responsabilizada por negligência, uma vez que ela é a provedora do acesso. Assim, a empresa deverá arcar com a reparação aos prejudicados.

Conclusão

Conforme vimos, não são pequenos os riscos que a empresa corre ao fornecer a seus visitantes o acesso à rede Wi-Fi.

Da sobrecarga da rede à responsabilização por atos ilícitos, passando pela perda de dados confidenciais, todas elas são ocorrências que trazem enormes prejuízos para a empresa, sejam eles financeiros ou de outra natureza.

Inegavelmente, a imensa maioria dos visitantes não está nem um pouco interessada em praticar atos ilícitos, mas não há outro meio de proteger a empresa, a não ser estabelecendo mecanismos de segurança.

Assim, separar a rede wi-fi da empresa, criando uma rede específica para visitantes, é uma medida necessária e recomendável.

E então, sua empresa já tem uma rede wi-fi própria para visitantes? Para obter os melhores equipamentos e a melhor configuração em redes, consulte um especialista da Dunamys e peça um orçamento.

Você também pode fazer o nosso quiz. Descubra em que nível está sua segurança em relação a essas dez práticas, é só clicar no banner abaixo:

Compartilhe